Faltam médicos no PS Municipal de Suzano

Constatação foi feita pelo vereador Lisandro Frederico, que foi até a 

unidade de saúde e encontrou filas de espera de mais de três horas

Pacientes do Pronto-Socorro Municipal de Suzano têm sofrido com a falta de médicos. A constatação foi feita na noite desta quinta-feira (03/04), pelo vereador Lisandro Frederico, que esteva na unidade de saúde e encontrou filas de espera de mais de três horas, além de muitas reclamações.

“Sai do Pronto-Socorro Municipal – Adulto e Infantil – inconformado com a quantidade de pessoas, incluindo recém-nascidos, aguardando por horas e mais horas o atendimento médico”, afirmou Lisandro. “Pouco do que vi por lá me deixou satisfeito, salvo o esforço de alguns funcionários que conseguiam driblar a falta de gestão, de sensibilidade e da escassez de recursos e acolher os pacientes”, descreveu.

De acordo com Lisandro, a Prefeitura, “responsável pelo serviço, precisa tomar providências imediatas sobre o que está acontecendo no PS Municipal”. “Existem problemas que venho apontando desde o ano passado. Farei novas cobranças, por meio de ofícios e requerimentos, à Prefeitura”, adiantou.

Enquanto estava no local, Lisandro encontrou diversos problemas, entre eles o “sumiço” de um médico, em pleno horário de pico de atendimento. Apenas dois médicos estavam escalados para atender a enorme fila, mas apenas um atendia os casos de urgência que chegavam à unidade. “O número de profissionais já pequeno e um deles ainda não cumpre o horário. Procurei por duas horas o segundo médico que deveria estar de plantão. Eu deixei o PS às 22h30 e ele não havia aparecido. Funcionários e pacientes também não o viam havia algumas horas”, lamentou o vereador.

“O PS foi reformado e está muito bonito, mas de nada tem adiantando diante da sobrecarga e da falta de médicos. Independentemente da quantidade de pessoas a ser atendida, a gestão e o acompanhamento, por exemplo, da falta de um profissional, precisam ser feitos de forma eficiente pela Prefeitura e pela Secretaria Municipal de Saúde”, criticou. “Os principais funcionários da Secretaria de Saúde e da Prefeitura deveriam estar no PS na noite desta quinta-feira, para resolver aquela situação caótica. É em momento como estes os quais vemos que o Poder Pública está ou não alinhado às demandas da sociedade”, ponderou Lisandro, que pegou o contato dos pacientes para acompanhar pontualmente os casos.

Pacientes internados

Outra dificuldade encontrada por Lisandro estava na ala da Pediatria. Havia 14 crianças internadas em poltronas, quando deveriam estar em macas ou dentro de leitos. Na ala de adultos o problema permanecia. “Havia um garoto de 14 anos, na ala de adultos. Ele permanecia na poltrona havia dois dias”, contou Lisandro.

“Ao menos, observei que os monitores cardíacos, que tenho cobrado desde o ano passado, foram substituídos e estavam funcionando”, destacou o vereador.

Ele lembrou que a justificativa que o atendimento no PS Municipal é caótico devido à superlotação e a demanda de pacientes de outras cidades, não pode ser usada. “O prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi, é presidente do Condemat (Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê), um grupo que reúne os prefeitos do Alto Tietê, logo, ninguém melhor para propor ações regionais que resolvam esta questão”, informou.