Lar temporário

*Por Lisandro Frederico

Os protestos de animais se dedicam a tirar das ruas os cães e gatos abandonados ou maltratados. Contudo, a quantidade de bichos descartados como uma garrafa pet, uma embalagem qualquer ou, ainda, alvo de toda a raiva e estresse dos donos, é muito maior que o número de pessoas que fazem da causa animal uma causa de vida.

E apesar de todas as dificuldades, a grande maioria dos resgates e, consequentemente o encaminhamento à adoção, é decorrência do trabalho destes protetores e das ONGs, uma vez que o Poder Público somente agora, e a passos lentos, começa a se conscientizar sobre a importância de desenvolver campanhas de posse responsável e criar políticas públicas que compreendam o resgate, o tratamento e o encaminhamento aos novos donos conscientes da responsabilidade de cuidar. Ou seja, passaram a encarar o tema como uma questão de saúde pública.

E é neste cenário de uma equação difícil de resolver que surgem os voluntários, que podem ajudar com a oferta de abrigos temporários de cães e gatos resgatados. Esses lares nada mais são do que casas de pessoas comuns, preocupadas com o bem-estar dos animais e que podem oferecer hospedagem por dias ou meses, para cachorros ou gatos à espera da adoção.

À primeira vista, pode parecer estranho acolher um animal que não será seu. Mas, na realidade, é um trabalho extremamente gratificante.

Se cada voluntário, que ofereça um lar temporário, conseguir proteger um ou até dois animais, contribuirá de forma significativa para tornar menos doloroso o longo caminho que estes bichinhos percorrerão até encontrar um dono que os ame e não os abandone novamente.

Além de um ato de amor e cidadania, oferecer um lar temporário permite que protetores e as ONGs ajudem um número ainda maior de animais, uma vez que libera vagas em abrigos – quando existe esta possibilidade – e nas casas dos próprios protetores, sempre superlotadas. Assim, eles podem recolher outros bichos em situação de maus-tratos ou abandono.

Não é preciso ter um canil ou um gatil em casa para ser um voluntário de lar temporário. Um espaço pequeno, porém seguro e limpo, já é o suficiente. O mais importante é ter boa vontade e disposição.

O lar temporário, mais que um conforto e um carinho ao animal, é uma necessidade. Procure uma ONG de proteção animal e seja um voluntário.

Mais informações de como ajudar os animais abandonados do Alto Tietê podem ser encontradas no site da ONG PAS: www.projetoadote.com.

Lisandro Frederico é vereador de Suzano pelo PSD, o parlamentar mais novo da cidade, e um dos fundadores da ONG PAS de proteção animal.