Câmara de Suzano adia votação do PPA

Falta de diálogo com secretários municipais e a ausência no projeto de propostas apresentadas pela população foram determinantes para a prorrogação do prazo
A Câmara de Suzano aprovou, durante a sessão ordinária desta quarta-feira (11), o adiamento por 20 dias da votação do Plano Plurianual Participativo (PPA). A falta de diálogo com alguns secretários municipais e, principalmente, a ausência no projeto das propostas apresentadas pela população, durante as assembleias de preparação do PPA, foram determinantes para a prorrogação do prazo. O Plano Plurianual definirá as diretrizes e as metas a serem seguidas pelo Poder Público entre os anos de 2018 e 2021.
Autor do pedido de adiamento, o vereador Lisandro Frederico avaliou que, a partir desta prorrogação, os secretários municipais diretamente envolvidos com o PPA terão tempo de dialogar com os parlamentares. Já os vereadores poderão estudar a apresentação de emendas, que representem a vontade da população suzanense, ao projeto.
“A causa animal, entre outros apontamentos indicados nas reuniões preparatórias, não pode ser colocada em segundo plano, como prevê este PPA. O futuro da cidade precisa ser debatido com quem vive nela”, criticou Lisandro. “O PPA serve como preparação para a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2018 e se não modificarmos o Plano Plurianual, os investimentos definidos pela LOA não representarão os anseios da população”, afirmou Lisandro. 
O vereador garantiu que tentou de todas as formas incluir as demandas da acusa animal no PPA, porém, não obteve nenhum tipo de resposta por parte da administração municipal. 
Durante a elaboração do PPA, a Prefeitura, por meio das Secretarias Municipais de Governo e de Planejamento Urbano e Habitação, promoveu uma série de encontros com a população, em diferentes pontos da cidade e sobre temas variados. O objetivo era ouvir as propostas dos suzanenses. No entanto, o texto do projeto encaminhado à Câmara ignorou, por exemplo, as propostas apresentadas e protocoladas na assembleia, que contou com a presença de representantes da causa animal do município. 
SEM DIÁLOGO
Mesmo com votos contrários ao adiamento, os vereadores André Marcos de Abreu, o Pacola, e Edirlei Junio Reis criticaram a falta de diálogo com alguns secretários municipais. 
“Tem secretário que não está querendo discutir a cidade com o vereadores e a população”, afirmou Pacola. “Vejo muito pouco representada, neste e em outros projetos do Executivo, as vontades da nossa sociedade”, disse o vereador, que finalizou: “Alguns secretários acham que são donos da razão e que são os únicos que entendem de leis”.
Edirlei ressaltou que já solicitou diversas informações sobre o impacto ambiental do adensamento da área central, um dos itens que compreenderá outro importante projeto, o Plano Diretor de Suzano, no entanto, todos os pedidos foram negados. “Nós, vereadores, estamos atentos a nossa função. Não é só falar amém e apertar o botão sim ou não para os projetos que chegam de última hora. A Câmara Municipal precisa ser respeitada”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

×

Conversar agora!
Envie sua mensagem que retornaremos o contato em poucos minutos.

× Chat Online - WhatsApp