Fundada há apenas um mês, empresa de portaria contratada pela Prefeitura de Suzano cobra R$ 7,5 mil por porteiro

A Prefeitura de Suzano contratou uma empresa de Mogi das Cruzes para fazer o controle de acesso nas unidades na Secretaria Municipal de Saúde durante os três meses de pandemia. A empresa foi aberta em 20 de fevereiro deste ano e um mês depois empresa contratada pela Prefeitura sem licitação pelo valor de R$ 687.847,26 sob justificativa de contenção e combate ao Covid-19.
Segundo o contrato com a empresa Prismaport Serviços de Portaria LTDA., ela deveria oferecer o serviço de “recepção e orientação aos munícipes que necessitarem dos serviços de saúde”. Ao todo seriam 30 controladores de acesso que seriam distribuídos em 14 unidades de Saúde da Prefeitura, no entanto, apenas a unidade de Pronto Socorro e o Pronto Atendimento de Palmeiras realizam o atendimento ao Covid-19. As demais unidades de Saúde estão com atendimento suspenso durante o período da pandemia, o que torna desnecessário um aumento no número de funcionários da unidade.
De acordo com o valor firmado entre a Prefeitura e a PrismaPort, o custo mensal de cada controlador de acesso seria de R$ 7.642,74 por mês.
Segundo o site Vagas.com a média salarial de um controlador de acesso no Brasil é de R$ 1.341,00, sendo exigido a formação no ensino médio.
A contratação da Prismaport engrossa a lista de negócios suspeitos feitos pela Prefeitura de Suzano durante a pandemia da Covid-19, quando Suzano firmou mais de R$ 10 milhões em contratos com dispensa de licitação.
Hospital de campanha milionário, leitos de UTI em Franco da Rocha e máscaras de proteção N95 por R$ 53,00 são outras contratações feitas pela Prefeitura sem licitação.

DENÚNCIA
A denúncia do contrato com a Prismaport foi feita na noite desta terça-feira pelo ex-vereador Israel Lacerda. Após sua divulgação, a internauta Aniele Ferreira comentou a publicação do ex-vereador afirmando que seu marido prestou serviços para a empresa. “Gente é verdade sim, meu esposo entrou nessa empresa e ficou 70 dias. Ele foi dispensado porque não renovou o contrato” disse Aniele.
Uma outra internauta questionou Aniele se o marido recebia R$ 7 mil reais por mês. “Não. Ele ganhava R$ 1.400,00” respondeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

×

Conversar agora!
Envie sua mensagem que retornaremos o contato em poucos minutos.

× Chat Online - WhatsApp