Exigida maior flexilidade na campanha contra a febre amarela

Vereador afirma que Prefeitura deveria adotar horários diferenciados de funcionamento dos postos, como expediente noturno ou aos fins de semana
O vereador Lisandro Frederico solicitou que a Prefeitura de Suzano ofereça mais informações e horários alternativos para a vacinação contra a febre amarela. De acordo com o parlamentar, devido à grande demanda de pessoas que buscam a imunização, a administração municipal deveria “adotar horários diferenciados de funcionamento dos postos, como expediente noturno ou aos fins de semana, unidades itinerantes e atendimento prioritário”. “O horário de atendimento dos postos de saúde são incompatíveis com o horário de expediente de trabalho da maioria da população”, avaliou Lisandro. 
Ele solicitou que a Prefeitura divulgue de forma mais eficiente os locais onde as vacinas estão sendo aplicadas e afirmou que a população está em pânico, pois a Prefeitura não tem clareza e não adota as medidas de conscientização necessárias sobre a doença. “Ainda há muita desinformação. A página oficial da Prefeitura poderia ser usada para dar esclarecimento à população, por exemplo, abordar a  importância de eliminar os criadouro do mosquito Aedes Aegypti “, criticou.
Lisandro também questionou o funcionamento do veículo nebulizador de inseticidas da Prefeitura. “Solicitei informações sobre a atual condição de uso do equipamento. Em 2017, durante uma vistoria ao Centro de Zoonoses, notei que os funcionários se esforçavam para tentar consertá-lo”, afirmou.
14 Unidades
A partir desta sexta-feira, a imunização da febre amarela passou a ser direcionada especificamente a quem vive nos distritos do Boa Vista e de Palmeiras e nas regiões do Raffo e do Parque Maria Helena, que são as áreas de recomendação definidas pela Secretaria de Estado da Saúde. A vacinação será priorizada em 14 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), apenas em dias úteis, a partir das 8 horas. 
Os moradores deste bairros devem procurar os seguintes postos: Jardim São José, Jardim Alterópolis, Cidade Miguel Badra, Dr. Eduardo Nakamura, Cidade Boa Vista, Jardim Europa, Parque Maria Helena, Tabamarajoara, Jardim Ikeda, Vila Fátima, Jardim Palmeiras, Jardim do Lago, Jardim Brasil e Recanto São José. É preciso apresentar documento de identidade com foto, carteira de vacinação e um comprovante de endereço atualizado. 
“Vale lembrar que os macacos, assim como os seres humanos, são vítimas da febre amarela, que, normalmente, os leva à morte. Eles são os principais hospedeiros do vírus, mas quem carrega as doenças é o mosquito”, informou Lisandro. “Não há qualquer razão para matar os macacos ou classificá-los como responsáveis por essa ou aquela epidemia. Denunciem se souberem ou presenciarem a morte ou a tentativa de morte de algum macaco, pois se trata, inclusive, de crime ambiental”, finalizou.