Lisandro comemora manutenção do preço da passagem; vereador fez petição contra reajuste

Em apenas 24 horas, abaixo-assinado obteve quase mil assinaturas; Lisandro vai exigir a implantação de terminais rodoviários e a reforma de pontos de ônibus
O vereador Lisandro Frederico comemorou o anúncio de que não haverá nenhum aumento na passagem no transporte municipal em 2018, porém, afirmou que exigirá a implantação de terminais rodoviários e a reforma de pontos de ônibus. Ambas as promessas foram apresentadas pela Prefeitura, em janeiro de 2017, como justificativas para autorizar o reajuste de R$ 3,80 para R$ 4,10. 
“O principal responsável por fazer com que o preço se mantivesse foi a população, que mostrou toda a sua insatisfação”, afirmou Lisandro. O vereador havia elaborado um abaixo-assinado online contra o aumento. Em apenas 24 horas, o documento obteve quase mil assinaturas. “Parabenizo todos os suzanenses que fizeram valer sua opinião e participaram do abaixo-assinado. Cumprimento também a Prefeitura que, desta vez, ouviu os moradores da cidade e não autorizou o aumento abusivo e absurdo. É com a participação da sociedade que se faz democracia”, afirmou.
Na semana passada, a mesma Prefeitura que recusou o pedido havia afirmado que estudava a solicitação de acréscimo de R$ 0,85, feita pela empresa responsável pelo serviço. Em pleno domingo e logo após a grande repercussão negativa nas redes sociais e com a petição online sendo compartilhada por milhares de suzanenses, o prefeito Rodrigo Ashiuchi anunciou, na sua página no Facebook, que o valor seria mantido. 
Com a manutenção do preço neste ano, Lisandro disse que, agora, trabalhará para que as promessas feitas no começo de 2017 sejam concretizadas, “afinal, o aumento ocorreu, mas as contrapartidas, não”. Muito pelo contrário. Além de não ter construído os terminais – no distrito de Palmeiras e um no Parque Maria Helena – e também não ter reformado e nem mesmo construído novos pontos de embarque e desembarque, o aumento anunciado na época iria ser necessário para manter o programa Passe-Livre. No entanto, o programa sofrerá restrições a partir deste ano, conforme projeto da Prefeitura. “Nada do que foi prometido foi cumprido e pior do que isso: Direitos foram retirados”, criticou Lisandro.
Contrapartidas
Com a mudança, o Passe Livre fica restrito apenas às famílias que se encaixem em determinado critério de renda familiar. “O projeto enviado à Câmara, na última sessão do ano, não contava com nenhuma avaliação de impacto e chegou em regime de urgência”, afirmou o vereador.
Entre as alterações do Passe Livre 2018, a principal delas é que o benefício somente será concedido aos estudantes cuja renda familiar não ultrapasse três salários mínimos ou que a renda per capta seja inferior a meio salário mínimo.
“Suzano, hoje, tem uma passagem mais cara que diversas capitais do Brasil, e aqui não tem integração, nem cobrador, os ônibus não tem ar-condicionado, nem WiFi, enfim. Estes já são motivos para estudar uma redução no valor da passagem e não um aumento”, finalizou Lisandro.
×

Conversar agora!
Envie sua mensagem que retornaremos o contato em poucos minutos.

× Chat Online - WhatsApp