Lisandro vai criar programas de controle e prevenção de zoonoses

“Suzano carece de políticas públicas voltadas ao controle de zoonoses, por isso, é fundamental conhecermos a real situação do nosso município”

Com o objetivo de criar programas de controle e prevenção, o vereador Lisandro Frederico solicitou que a Prefeitura de Suzano informe a quantidade de doenças zoonóticas registradas nos últimos quatro anos (de janeiro de 2014 a dezembro de 2017). As zoonoses (ou doenças zoonóticas) são doenças transmissíveis entre os animais e o homem, sendo uma importante ameaça à saúde pública, uma vez que o contato entre eles é frequente.

“Suzano carece de políticas públicas voltadas ao controle de zoonoses e antes de apresentarmos uma proposta e um cronograma de atuação é fundamental conhecermos a real situação do nosso município”, explicou Lisandro. Um requerimento com o questionamento do número de doenças e como elas foram diagnósticas (se via Poder Público ou por entidades privadas) foi encaminhado à Prefeitura de Suzano.

Entre as zoonoses, que fazem parte do pedido de Lisandro, estão: raiva, epizootia, esquistossomose, leptospirose, toxoplasmose, atendimento antirrábico, esporotricose, criptococose, e dirofilariose.

“Conhecer o perfil das doenças zoonóticas que transitam em Suzano é fundamental, porque estamos debatendo saúde pública. Já sabemos que existem casos de toxoplasmose, e milhares de atendimentos antirrábicos, mas queremos nos aprofundar no tema. Combater, tratar e conscientizar é a nossa obrigação e não podemos nos furtar deste dever”, afirmou Lisandro.

Para exemplificar a necessidade da buscar por informações atualizadas, de acordo com o vereador, os recentes casos de leshmaniose visceral identificados na cidade foram tratados de maneira equivocada pela Prefeitura. “A Secretaria de Saúde atuou com protocolos desatualizados e preferiu eutanasiar animais, quando deveriam focar em evitar a proliferação do mosquito palha, principal vetor da doença” critica.

O vereador informou que três quartos das novas doenças que afetaram o homem nos últimos dez anos foram causadas pelas moléstias transmitidas por um animal ou por produtos de origem animal, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). “Por isto, existe a necessidade de vigiar as zoonoses”, disse.

“Um recente estudo mostrou que mais de 2,5 milhões de pessoas morrem por ano em decorrência de doenças originadas em animais, segundo o levantamento conduzido por instituições de zoologia e saúde de todo o mundo”, revelou Lisandro.