Novas irregularidades: documento vazado da Câmara vai parar em vídeo com fake news

O vereador Lisandro Frederico vai questionar a presidente da Câmara de Vereadores de Suzano para que ela explique como um documento, que ainda está em fase de apuração na Delegacia Seccional, foi parar em um vídeo com fake news que circula em grupos de WathsApp.

O material, que tenta prejudicar a imagem de Lisandro, mostra um ofício assinado pelo delegado-seccional Jair Barbosa Ortiz e enviado pela Seccional à presidente da Câmara Municipal, em 29 de outubro. Quatorze dias antes da denúncia feita contra o vereador. A representação de autoria de um ex-condenado pela Justiça utiliza como base este inquérito que deveria ser sigiloso, justamente por estar em fase de apuração.

Na avaliação de Lisandro, o fato é “gravíssimo”, por isso, protocolou um ofício em caráter de urgência, solicitando à Presidência da Câmara uma cópia integral do documento 1.573/2019, com data de 29/10, de possível autoria do delegado-seccional, como mostrado no vídeo com fake news.

Lisandro busca entender de que forma, semanas antes de um ex-condenado pela Justiça ter o denunciado no Legislativo usando documentos vazados, a Presidência da Câmara recebeu, da Seccional, o inquérito do qual é parte e, ainda, por qual motivo ele jamais foi comunicado sobre o trâmite envolvendo o nome dele.

“Se este documento estava na Câmara desde o dia 29 de outubro, então enviado pela Seccional, porque eu não fui notificado? Aliás, descobri a existência dele apenas neste vídeo sem autoria”, afirmou Lisandro. “A Presidência da Câmara terá que me explicar como este documento foi parar na mão de quem fez o vídeo com notícias falsas, se apenas a Presidência sabia da existência dele. Alguém vazou ou se trata de mais um produto de roubo?”, questionou Lisandro, que também tomara providências legais contra o autor do vídeo.

Na avaliação de Lisandro, a Câmara Municipal está sendo utilizado como parte da perseguição política que vem sofrendo. “Será que o delegado-seccional sabe que um ofício dele está circulando em vídeos com fake news?”, pondera Lisandro.

“São falhas graves, que inviabilizam o prosseguimento desta comissão processante. Quem é que está vazando todos estes documentos”, indaga o advogado Marco Tanoeiro, que defende Lisandro.

 

MUITAS ILEGALIDADES

Além do ofício em caráter de urgência, Lisandro questiona na Justiça a maneira como a Comissão Processante (CP) foi formada na Câmara Municipal. O vereador entrou com um pedido de Mandado de Segurança para derrubar a CP. Enquanto a lei defende o sorteio dos membros, a Presidente da Casa optou pela seleção dos vereadores, por exclusão, facilitando a perseguição política.

Em paralelo, Lisandro registrou na Delegacia Central de Suzano “Notícia Crime” contra a presidente da Câmara Municipal, já que a parlamentar assina dois documentos (Ata da Sessão e Ato de Formação da CP) que contém informação equivocada – a de que houve, sim, sorteio dos parlamentares. No entanto, o vídeo e o áudio da sessão mostram o contrário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

×

Conversar agora!
Envie sua mensagem que retornaremos o contato em poucos minutos.

× Chat Online - WhatsApp