Para iludir governador, Ashiuchi aluga leitos de UTI em cidade a 85 km de Suzano

Nesta segunda-feira (01/06), foram divulgadas as informações sobre o aluguel de leitos de UTI que a Prefeitura de Suzano estaria realizando no Hospital Previna, na cidade de Franco da Rocha. As informações chegaram até o vereador Lisandro Frederico por meio de pessoas ligadas à Secretaria de Saúde de Suzano.

Franco da Rocha fica a 85 quilômetros de distância de Suzano. De acordo com sistemas de navegação, o tempo estimado de deslocamento entre as cidades é de 1 hora e meia, desde que não haja trânsito.

Após a divulgação das informações sobre o aluguel dos leitos, outras fontes ligadas à Secretária de Saúde confirmaram a locação. Também já houve a confirmação de pacientes que estão sendo transferido para Franco da Rocha, onde inclusive, já ocorreram óbitos.

O aluguel de leitos de UTI surgiu depois que o prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi, passou a ser criticado devido à falta de estrutura da cidade com atendimento aos pacientes do Covid-19.

A Prefeitura de Suzano se negou a esclarecer o assunto. Questionada sobre a reportagem publicada, a Secretaria de Comunicação Pública (Secop) não respondeu aos questionamentos. O vereador Lisandro Frederico (Avante) também aproveitou a audiência pública da Secretaria de Saúde, na Câmara Municipal, para fazer o questionamento, porém, mais uma vez, o secretário Luís Cláudio da Rocha Guillaumon se negou a prestar esclarecimentos.

Segundo informações, a decisão de alugar leitos de UTI em hospitais distantes surgiu depois que Suzano foi impedida de flexibilizar a quarentena.

E para tentar antecipar a liberação do comércio, o prefeito então teria tido a ideia de mostrar número “positivos” ao governador João Dória. Mostrando um papel em que consta que a cidade tem leitos de UTI à disposição, mesmo que sejam alugados e em uma cidade a 85 km de distância, o prefeito de Suzano tentou convencer o governador modificar a classificação de risco da cidade.

Na última semana, o Governo do Estado de São Paulo classificou a cidade de Suzano como grau máximo de riscos de contaminação do Covid-19 e, por isso, estendeu a quarentena por mais 15 dias. A classificação do Governo levou em conta a taxa de isolamento nas cidades, assim como o número de leitos de UTI disponíveis em cada município. Como Suzano pouco atuou nestas duas questões, a cidade teve uma baixa classificação.

Na mesma data em que surgiram os rumores sobre a contratação de leitos de UTI em Franco da Rocha, Ashiuchi participou de um encontro com o governador João Doria. Na oportunidade ele divulgou o pedido feito ao governador para antecipar a flexibilização do comércio na cidade.

O vereador Lisandro Frederico (Avante) tem cobrado a falta de estrutura na cidade. Desde 2019 ele destaca a falta de leitos de UTI em uma cidade com 300 mil habitantes. Foi ele quem denunciou abusos na Santa Casa de Suzano, quando a Prefeitura insistiu para realizar a troca de empresas privadas de UTI, sem o devido procedimento licitatório.

Em março de 2020, o vereador encaminhou ao prefeito pedidos para a criação de leitos de UTI durante a pandemia, mas o prefeito ignorou os pedidos. Hoje, com o crescimento das pessoas contaminadas na cidade, começaram a surgir os relatos de pacientes em estado grave que não podem ser atendidos na estrutura do Hospital de Campanha de Suzano, e por isso, ficam esperando por auxílio dos leitos de UTI oferecidos pelo Governo do Estado – quando vem. 

Desde o início da pandemia do Covid-19 a Prefeitura de Suzano já firmou mais de R$ 10 milhões em contratos com empresas sem licitação. No Hospital de Campanha montado na Arena Max Feffer fotos publicadas pela Prefeitura mostram adesivos identificando leitos como sendo UTI, no entanto, não existe UTI no local.

“Graças a falta de transparência da Prefeitura, eu tenho divulgado para a população a crise que estamos vivendo. Acredito que a contratação de leitos de UTI seja consequência das cobranças que estamos fazendo, mas eles precisam explicar onde esses leitos estão” destaca Lisandro.

Profissionais da saúde que conversaram com o vereador apostam que o aluguel de leitos de UTI foi realizado para que a Prefeitura de Suzano consiga antecipar a flexibilização do isolamento.

TRANSPARÊNCIA

A transparência com os gastos públicos e ações de combate à Covid-19 em Suzano tem sido ignorada pela Prefeitura. Por diversas vezes Lisandro foi impedido a ter acesso a documentos públicos da Administração.

Até mesmo o prefeito chegou a responder questionamentos oficiais da Câmara com informações falsas, impedindo a fiscalização do vereador.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, o vereador apontou as dificuldades que está enfrentando para fiscalizar a Administração. Ele afirmou que mesmo com as dificuldades colocadas pela Prefeitura, ele não deixará de cumprir sua função. “Transparência é uma obrigação. Eu não vou deixar de mostrar a verdade para a população” declarou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

×

Conversar agora!
Envie sua mensagem que retornaremos o contato em poucos minutos.

× Chat Online - WhatsApp