• Autor

Mogi cria "auxílio empresarial" para evitar quebra de pequenas empresas

Os vereadores mogianos aprovaram hoje um projeto de lei que oferece um auxílio financeiro a pequenas empresas. O projeto que cria o "auxílio empresarial" é de autoria do Executivo Municipal e foi aprovado pelo Legislativo na sessão que ocorreu na tarde desta terça-feira (13). A Prefeitura pretende investir até R$ 6,7 milhões na concessão dos benefícios aos empresários mogianos.


Em nota publicada, a Câmara de Mogi esclareceu que as empresas que atenderem os critérios para receber o auxílio poderão receber o pagamento de R$ 300,00 por CNPJ ou por empregados (limitado a cinco empregados). O benefício é destinado a empresas que foram impactadas pela pandemia por exercerem atividades não essenciais. O benefício não inclui os Microempreendedores Individuais (MEI).


Nas redes sociais o prefeito Caio Cunha (Podemos) comemorou a aprovação: "pela primeira vez, os mogianos terão auxílios financeiros para dar um suporte neste momento difícil" afirmou.

"A prefeitura e Câmara Municipal se uniram para encontrar formas de apoiar financeiramente as famílias em vulnerabilidade e as pequenas empresas de nossa cidade. Uma vitória em meio à crise sanitária que estamos vivendo" comemorou.


Caio informou que nos próximos dias a Prefeitura irá anunciar os critérios para concessão e pagamento do benefício.


AUXÍLIO EMERGENCIAL MUNICIPAL


Na mesma sessão a Câmara também aprovou um auxílio destinado às famílias mogianas. O benefício será pago em três parcelas de R$ 100,00, nos meses de abril, maio e junho. O projeto previa duas parcelas, mas por conta de uma emenda de autoria de todos os vereadores da Casa, foi incluída uma parcela a mais.


Para receber o benefício a família deve estar em situação de vulnerabilidade social, cadastradas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com renda per capta de até R$ 178,00 mensais.



47 visualizações0 comentário